Segunda-feira, 5 de Setembro de 2016

A FESTA DO LIVRO NO PALÁCIO DE BELÉM SERVIU A QUEM?

 

A ideia da Festa até não foi má.

Mas ficaram no ar algumas perguntas.

 

jsg_9880321813e5_base F LIVRO.jpg

Marcelo na Festa do Livro de Belém. Foto: José Sena Goulão/Lusa

Origem da imagem: http://rr.sapo.pt/noticia/62702/marcelo_recapitalizacao_resolve_problema_da_caixa

 

De quem foi realmente a ideia?

 

A “festa” serviria aos Autores Portugueses que estão a fazer um bom trabalho para manter a Língua Portuguesa na sua versão culta, desacordizada, ou aos editores acordistas que, não estando a vender os livros que editaram na versão inculta da língua acordizada, “mexeriam uns pauzinhos” no sentido de se fazer uma “festa” em Belém para poderem “despachar” os livros que estão encalhados?

 

Conseguiram alcançar esse objectivo?

 

Pelo que se consta, não.

 

A maioria das pessoas que foram à “Festa” do livro, disse que foram lá para ver os jardins e, claro, como não podia deixar de ser, ver também o presidente.

 

Os livros para a infância (que querem aliciar para o AO90) eram em número esmagador.

 

Estão a tentar despachá-los às inocentes crianças, que andam baralhadas com esta coisa da língua… As Avós oferecem-lhes livros em boa Língua Portuguesa. Em algumas (felizmente não todas) escolas ensinam-lhes um português mutilado… Em que ficamos?

 

Nas feiras do livro que pululam por aí, as edições infantis em acordês são mais que muitas, mas ficam por vender. Foi o que me disseram.

 

É que o mercado livreiro em Portugal está mau. Está péssimo.

 

É que, felizmente, cada vez mais, os Portugueses se recusam a comprar livros mal escritos.

 

E as novas edições em acordês, dos nossos clássicos (que nunca escreveriam fato por facto) estão todas encalhadas também.

 

Há que pôr termo a este descalabro.

 

Querem vender livros?

 

Apresentem-nos livros escritos em bom Português, ou seja, na versão culta da Língua Portuguesa. A Oficial. Não a ilegal, que anda por aí com o nome de AO90.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:01

link do post | comentar | adicionar aos favoritos
| partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar neste blog

 

.Abril 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
13
14
15
16
17
20
21
22
23
24
25
27
28
29
30

.posts recentes

. NEGOCIATA OBSCURA ENVOLVE...

. A INCOERÊNCIA DE UM GOVER...

. ANTÓNIO BARRETO ESCREVEU ...

. SE A IGNORÂNCIA PAGASSE ...

. RELATÓRIO DA AUDIÇÃO DA A...

. LATIM É LATIM… GALEGO É G...

. «NÃO HAVERIA DITADORES SE...

. RESISTAMOS À IGNORÂNCIA

. O ERRO ORTOGRÁFICO

. DEPUTADOS DA NAÇÃO USAM M...

.arquivos

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

.ACORDO ORTOGRÁFICO

EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA, A AUTORA DESTE BLOGUE NÃO ADOPTA O “ACORDO ORTOGRÁFICO” DE 1990, DEVIDO A ESTE SER INCONSTITUCIONAL, LINGUISTICAMENTE INCONSISTENTE, ESTRUTURALMENTE INCONGRUENTE, PARA ALÉM DE, COMPROVADAMENTE, SER CAUSA DE UMA CRESCENTE E PERNICIOSA ILITERACIA EM PUBLICAÇÕES OFICIAIS E PRIVADAS, NAS ESCOLAS, NOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, NA POPULAÇÃO EM GERAL E ESTAR A CRIAR UMA GERAÇÃO DE ANALFABETOS.

.BLOGUES

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/

.CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt

. AO/90 É INCONSTITUCIONAL

O Acordo Ortográfico 1990 não tem validade internacional. A assinatura (em 1990) do texto original tem repercussões jurídicas: fixa o texto (e os modos como os signatários se vinculam), isto segundo o artº 10º da Convenção de Viena do Direito dos Tratados. Por isso, não podia ser modificado de modo a entrar em vigor com a ratificação de apenas 3... sem que essa alteração não fosse ratificada por unanimidade! Ainda há meses Angola e Moçambique invocaram OFICIALMENTE a não vigência do acordo numa reunião OFICIAL e os representantes OFICIAIS do Brasil e do capataz dos brasileiros, Portugal, meteram a viola no saco. Ora, para um acordo internacional entrar em vigor em Portugal, à luz do artº 8º da Constituição Portuguesa, é preciso que esteja em vigor na ordem jurídica internacional. E este não está!
blogs SAPO