Sábado, 17 de Outubro de 2015

«ESTAS BOLACHAS DE CHOCOLATE TÊM BOM ASPETO? SÃO FEITAS À BASE DE… INSETOS!»

 

Este é o título de um artigo que li na Internet.

 

Gosto de bolachas de chocolate… mas com bom aspÊto e feitas de insÊtos? Como disse????

 

Andei à procura do étimo ou etimologia de aspÊto e insÊtos (pois esta é a pronúncia correCta deste conjunto de letras alienígena) para que pudesse entender que bolachas de chocolate são estas, e se seriam digeríveis.

 

BOLACHAS.jpg

 Eis as bolachas de chocolate fabricadas, segundo o acordo ortográfico de 1990, com bom aspÊto e insÊtos.

 

Procurei, procurei, em dicionários de Língua Portuguesa comuns e especializados e não encontrei absolutamente nada que me levasse à etimologia destas duas “coisas” esquisitas, para que eu pudesse decidir se deveria experimentar comer tranquilamente estas bolachas, sem que me causassem indigestão ou alguma alergia fatal.

 

Consultei também a Internet (que costuma dizer-nos de tudo e mais alguma coisa) contudo, em Língua Portuguesa da gema, ou seja, na minha língua-mãe, nada encontrei igualmente.

 

No entanto, não desisti, e com um pouco de boa vontade, lá encontrei apenas o significado (não a origem) de aspÊto e insÊtos, no linguajar do acordo ortográfico de 1990, que os governantes portugueses querem impingir-nos à força de decretos mal amanhados.

 

E não é que descobri que os adePtos do AO de 1990 pretendem, a todo o custo, que aspÊto signifique o mesmo que aspeCto, cuja origem assenta na palavra latina “aspectus” (aparência exterior das coisas), e insÊtos seja o mesmo que inseCtos, que deriva do vocábulo também latino “insectum” (classe de artrópodes cujo corpo se divide em tal e tal e tal…)?

 

Não, não brinquem com coisas sérias, senhores governantes!

 

É que ao pretenderem desenraizar a Língua Portuguesa, além de demonstrarem uma colossal ignorância da mesma, levam os mais incautos a comerem bolachas de chocolate com aspÊtos e insÊtos, altamente nocivos à deglutição da nossa língua-mãe.

 

São dois amontoados de letras sem nenhum vislumbre de sentido.

 

São duas “coisas” inexistentes no Léxico Português.

 

Então, é necessário e urgente acabar com esta farsa, antes que as crianças comecem a comer bolachas de chocolate com ingredientes fabricados sem a mínima regra de sanidade mental.

 

Fonte da notícia:

http://lifestyle.sapo.pt/saude/peso-e-nutricao/artigos/estas-bolachas-de-chocolate-tem-bom-aspeto-sao-feitas-a-base-de-insetos

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:25

link do post | comentar | adicionar aos favoritos
| partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar neste blog

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
16
18
19
20
21
22
23
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. «VAMOS DEIXAR-NOS DE PALE...

. PORTUGAL E O DESENGONÇADO...

. EM PORTUGUÊS, SALVADOR SO...

. SANTOS SILVA DIZ QUE SE C...

. ESTA É A GRANDE VERDADE N...

. O ACORDO ORTOGRÁFICO DE 1...

. CARLOS GUILHERME – «A HIS...

. TERCEIRO FÓRUM CONTRA O A...

. NEGOCIATA OBSCURA ENVOLVE...

. A INCOERÊNCIA DE UM GOVER...

.arquivos

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

.ACORDO ORTOGRÁFICO

EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA, A AUTORA DESTE BLOGUE NÃO ADOPTA O “ACORDO ORTOGRÁFICO” DE 1990, DEVIDO A ESTE SER INCONSTITUCIONAL, LINGUISTICAMENTE INCONSISTENTE, ESTRUTURALMENTE INCONGRUENTE, PARA ALÉM DE, COMPROVADAMENTE, SER CAUSA DE UMA CRESCENTE E PERNICIOSA ILITERACIA EM PUBLICAÇÕES OFICIAIS E PRIVADAS, NAS ESCOLAS, NOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, NA POPULAÇÃO EM GERAL E ESTAR A CRIAR UMA GERAÇÃO DE ANALFABETOS.

.BLOGUES

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/

.CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt

. AO/90 É INCONSTITUCIONAL

O Acordo Ortográfico 1990 não tem validade internacional. A assinatura (em 1990) do texto original tem repercussões jurídicas: fixa o texto (e os modos como os signatários se vinculam), isto segundo o artº 10º da Convenção de Viena do Direito dos Tratados. Por isso, não podia ser modificado de modo a entrar em vigor com a ratificação de apenas 3... sem que essa alteração não fosse ratificada por unanimidade! Ainda há meses Angola e Moçambique invocaram OFICIALMENTE a não vigência do acordo numa reunião OFICIAL e os representantes OFICIAIS do Brasil e do capataz dos brasileiros, Portugal, meteram a viola no saco. Ora, para um acordo internacional entrar em vigor em Portugal, à luz do artº 8º da Constituição Portuguesa, é preciso que esteja em vigor na ordem jurídica internacional. E este não está!
blogs SAPO