Terça-feira, 23 de Julho de 2019

«A Língua oficial de Angola é o Português, mas não um Português qualquer, é o Português Europeu, mistura do Latim e Galaico-Português»

 

Mas os Angolanos fizeram mais, muito mais, pela Língua Portuguesa: além de manter as suas raízes GRECO-LATINAS, enriqueceram-na com os dialectos locais. É isto o que nos diz o vídeo mais abaixo publicado.

 

20772696_mJYTy[1].png

 

E vieram os acordistas portugueses tentar destruir essa riqueza, empobrecendo-a substancialmente com o acordo mais desacordado de todos os tempos e de todos os povos.

 

E querem agora os deputados fazer alterações ao AO90? Aperfeiçoamentos? Um novo acordo? Para quê? Para só piorar o péssimo?

 

O caminho racional a seguir é a destruição total do AO90, porque não é possível recuperar um ABORTO.

 

O aborto ortográfico de 1990 não é remendável nem recomendável.

 

Só um povo muito ignorante e rico em pobreza mental, precisa de acordos ortográficos, e pior do que isso, precisa de remendar o roto.

 

Diz a lógica que não se deve mexer no que está BEM, no que é consensual, no que é razoável, no que serve a Razão. E o AO45 está bem, é consensual, é razoável, serve a Razão e não foi revogado. Portanto está ainda em vigor. E em vigor deve permanecer, e não precisa que os mentalmente incapacitados o destruam.

 

Não há possibilidade alguma de remendar o roto, sem que o roto continue desfeado.

 

Isto de querer alterar ou aperfeiçoar o AO90ou fazer um novo acordo  faz parte da COBARDIA política, não da VONTADE política!

 

O AO90 só tem uma serventia: o caixote do lixo.

 

Acordem, senhores deputados, senhores governantes, porque estão em vias de ficar para a História, como aqueles que tiveram oportunidade de se elevarem, e, por teimosia ou coisa pior (que me abstenho de referir), desceram a um nível abaixo de zero, e tramaram Portugal, os Portugueses destruindo a sua Identidade, ao desvirtuarem a Língua Portuguesa.

 

Ponham os olhos e os ouvidos no Saber de Angola.

 

Isabel A. Ferreira

 

Ver vídeo aqui:

https://www.facebook.com/HistoriaDeAngola/videos/845997772154128/?v=845997772154128

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:33

link do post | comentar | adicionar aos favoritos
partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar neste blog

 

.Outubro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Extinção do AO90: de que...

. «Por isso me revolto…»

. «Indignados, verberam co...

. Indispensável esclarecime...

. «O Acordo Ortográfico e ...

. Diz o Embaixador Carlos F...

. «Augusto Santos Silva e L...

. Ao redor da inconcebível ...

. «Conhece uma língua filog...

. «Brasil e Portugal declar...

.arquivos

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

.Acordo Ortográfico

A autora deste Blogue não adopta o “Acordo Ortográfico de 1990”, por recusar ser cúmplice de uma fraude comprovada.

.

.Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt

. AO/90 é uma fraude, ilegal e inconstitucional

O Acordo Ortográfico 1990 não tem validade internacional. A assinatura (em 1990) do texto original tem repercussões jurídicas: fixa o texto (e os modos como os signatários se vinculam), isto segundo o artº 10º da Convenção de Viena do Direito dos Tratados. Por isso, não podia ser modificado de modo a entrar em vigor com a ratificação de apenas 3... sem que essa alteração não fosse ratificada por unanimidade! Ainda há meses Angola e Moçambique invocaram oficialmente a não vigência do acordo numa reunião oficial e os representantes oficiais do Brasil e do capataz dos brasileiros, Portugal, meteram a viola no saco. Ora, para um acordo internacional entrar em vigor em Portugal, à luz do artº 8º da Constituição Portuguesa, é preciso que esteja em vigor na ordem jurídica internacional. E este não está!
blogs SAPO