Quinta-feira, 19 de Abril de 2018

AO CUIDADO DE ANTÓNIO COSTA, PRIMEIRO MINISTRO DE PORTUGAL E DE MARCELO REBELO DE SOUSA, PRESIDENTE DA REPÚBLICA

 

1ª questão:

Senhor primeiro-ministro e senhor presidente da República, com todo o respeito, sei que não foram V. Exas. que escreveram a legenda nesta notícia da SIC, mas posso perguntar-lhes se este “ténis” é o de mesa, o de campo, ou simplesmente um calçado a que os portugueses dão o nome de sapatilhas?

 

É que com esta coisa de obrigarem (fora da lei) os portugueses a substituir a grafia portuguesa pela grafia brasileira, induz os menos instruídos a substituir tudo, a torto e a direito, completamente às ceguinhas…

 

E já não será tempo de o Governo e o Estado portugueses porem fim a esta colonização da nossa Língua?

 

TÉNIS.JPG

 

2ª questão:

O EgiPto é um país com uma história longa, e por todo o mundo o EgiPto é EgiPto, com o pronunciado, como em egíPcio, egiPtologia, egiPtologista, egiPtólogo.

 

Os brasileiros pronunciam “Egito” e escrevem “Egito”. E os portugueses imitam-nos, sem saberem o que fazem.

 

Egito é um nome próprio masculino. Egito, como país, não existe. A grafia brasileira é simplesmente brasileira, e os Portugueses não têm nada que a imitar.

 

Todos nós, que não somos seguidistas, gostaríamos de saber por que é que as estações de televisão insistem nesta ignorância?

 

Marcelo Rebelo de Sousa não foi ao Egito, porque o Egito não existe como país. Marcelo Rebelo de Sousa foi a um país chamado EgiPto, grafado com o nas línguas de todo o mundo.

 

EGITO.JPG

 

3ª questão:

Tirei a foto seguinte, porque achei piada à palavra proteCção, que normalmente se vê por aí mal escrita, à conta do acordo ortográfico, e que aqui está correCtamente escrita, parecendo entrar pelo ouvido do nosso primeiro-ministro.

 

E pensei: como seria proveitoso que estas e outras palavras, correCtamente escritas, pudessem entrar pelos ouvidos dos governantes e soassem nos seus cérebros como campainhas, e os alertassem para a urgência de se acabar com este insulto à Língua Portuguesa e às crianças que andam a ser enganadas.

 

E não se preocupem, as crianças esquecerão rapidamente a grafia estrangeira, e aprenderão com mais propriedade a grafia que é a delas, se lhes disserem a verdade, como eu já disse, e deixei-as de boca aberta e uma até me disse «eu não sabia disso, e isso está mal»…

 

Pois está mal. Muito mal.

 

É só terem a coragem de lhes explicar o grande equívoco: e o grande equívoco é acharem que a quantidade se sobreporá à qualidade, e os Portugueses não estão absolutamente nada interessados em entrar na contabilidade dos milhões…

 

PROTECÇÃO.JPG

 

4ª questão:

Posto isto, pretendemos que sejam REPOSTAS todas as consoantes suprimidas, que embora não se leiam, têm uma função na estrutura das palavras, que decidiram mutilar, e exigimos RESPOSTAS às perguntas que diariamente fazemos: o que estão a fazer os tribunais, que não exortam o governo à legalidade? Por que o presidente da República e o governo português fizeram um pacto de silêncio e mantém Portugal colonizado linguisticamente (mas não só?), em prejuízo de toda uma geração, que anda a ser enganada?

 

Até onde e até quando pretendem continuar com esta insultuosa e vergonhosa farsa?

 

REPOSTAS.png

 Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:52

link do post | comentar | adicionar aos favoritos
partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar neste blog

 

.Julho 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. CIMEIRA DA CPLP EM CABO V...

. MORREU ANTINO DO TOJAL, U...

. ADMIRÁVEL LÍNGUA NOVA (PA...

. REGRESSO PARA FAZER CAMPA...

. NO SILÊNCIO DESTE BOSQUE ...

. PARABÉNS LUSÓFONOS: A LÍN...

. A GRAFIA PORTUGUESA QUE V...

. A GRAFIA PORTUGUESA QUE ...

. «E ISTO NÃO SER TUDO…»

. ENTREVISTA A FRANCISCO MI...

.arquivos

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

.ACORDO ORTOGRÁFICO

EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA, A AUTORA DESTE BLOGUE NÃO ADOPTA O “ACORDO ORTOGRÁFICO” DE 1990, DEVIDO A ESTE SER INCONSTITUCIONAL, LINGUISTICAMENTE INCONSISTENTE, ESTRUTURALMENTE INCONGRUENTE, PARA ALÉM DE, COMPROVADAMENTE, SER CAUSA DE UMA CRESCENTE E PERNICIOSA ILITERACIA EM PUBLICAÇÕES OFICIAIS E PRIVADAS, NAS ESCOLAS, NOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, NA POPULAÇÃO EM GERAL E ESTAR A CRIAR UMA GERAÇÃO DE ANALFABETOS.

.

.CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt

. AO/90 É INCONSTITUCIONAL

O Acordo Ortográfico 1990 não tem validade internacional. A assinatura (em 1990) do texto original tem repercussões jurídicas: fixa o texto (e os modos como os signatários se vinculam), isto segundo o artº 10º da Convenção de Viena do Direito dos Tratados. Por isso, não podia ser modificado de modo a entrar em vigor com a ratificação de apenas 3... sem que essa alteração não fosse ratificada por unanimidade! Ainda há meses Angola e Moçambique invocaram OFICIALMENTE a não vigência do acordo numa reunião OFICIAL e os representantes OFICIAIS do Brasil e do capataz dos brasileiros, Portugal, meteram a viola no saco. Ora, para um acordo internacional entrar em vigor em Portugal, à luz do artº 8º da Constituição Portuguesa, é preciso que esteja em vigor na ordem jurídica internacional. E este não está!
blogs SAPO