Sexta-feira, 2 de Fevereiro de 2018

COMO ESCREVER EM BOM PORTUGUÊS

 

Querem saber por que os acordistas escrevem Ministério dos Negócios Estrangeiros com letra maiúscula, e o nome dos meses do ano - janeiro, fevereiro, março… e o das estações do ano primavera, verão… - com letra minúscula? Porque no Brasil escreve-se o nome dos ministérios com letra maiúscula e o nome dos meses do ano e o das estações do ano em minúsculas.

 

Só por isso.

 

 

JANEIRO.jpg

 (Origem da Imagem: Internet)

 

Em Bom Português, o nome dos meses do ano, quase todos derivados de nomes de deuses e deusas e imperadores, escreve-se com letra maiúscula:

Janeiro, Fevereiro, Março, Abril, Maio, Junho, Julho, Agosto, Setembro, Outubro, Novembro Dezembro.

 

O nome das estações do ano também se escreve com letra maiúscula, Em Bom Português:

Primavera, Verão, Outono, Inverno.

 

E os dias da semana escrevem-se com letra minúscula:

segunda-feira, terça-feira, quarta-feira, quinta-feira, sexta-feira, sábado, domingo.

 

***

Por que motivo Portugal, sendo um país livre e europeu, tem de se ajoelhar perante o Brasil, no que respeita às regras gramaticais, que regem a nossa Língua Oficial (a Língua Portuguesa), e as quais o Brasil nunca respeitou, mas, curiosamente, os restantes países lusófonos sempre respeitaram?

 

Também não temos, em questão da Língua (ou em qualquer outra questão) de seguir as “modas” dos países estrangeiros, porque os países estrangeiros jamais seguiriam as “modas” portuguesas, a este nível.

 

Por quê tanta subserviência às modas estrangeiras, numa matéria que só aos Portugueses diz respeito, e que é um dos símbolos maiores da identidade portuguesa? O que nos distingue dos demais povos – a Língua, a Portuguesa, claro!

 

Aqui há um gato escondido, que deixou o rabo de fora. E nós, que não somos parvos e temos olhos de ver, já detectámos esse rabo, há muito…

 

Sacrifica-se uma Língua íntegra, graciosa, estruturada com primor, com cabeça, tronco e membros, cortando-se-lhe a cabeça e os membros, desfigurando-a, transformando-a num patati infantil, desestruturado, mutilado, desgracioso, inestético, apenas porque uns poucos inhenhos assim o querem? Por dinheiro? Por poder? Por manigâncias? Por teimosia? Por falta de espinha dorsal? Ou por uma coisa pior, que eu cá sei?

 

Não, não permitiremos que a nossa Língua seja enxovalhada apenas por capricho de uns tantos ignorantes.

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:39

link do post | comentar | adicionar aos favoritos
partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar neste blog

 

.Abril 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
14
15
18
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.posts recentes

. A GRAFIA QUE VIGORA EM PO...

. AO CUIDADO DE ANTÓNIO COS...

. A CEGUEIRA DOS ACORDISTAS...

. EM QUE SITUAÇÃO ESTARÃO O...

. OUÇAM O QUE DIZ O PROFESS...

. EM ESPANHA MARCELO REBELO...

. QUE PORTUGUÊS SERÁ ESTE?

. A GRAFIA PORTUGUESA QUE V...

. «O MINISTRO DA CULTURA E ...

. E ASSIM VAI O ENSINO DA L...

.arquivos

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

.ACORDO ORTOGRÁFICO

EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA, A AUTORA DESTE BLOGUE NÃO ADOPTA O “ACORDO ORTOGRÁFICO” DE 1990, DEVIDO A ESTE SER INCONSTITUCIONAL, LINGUISTICAMENTE INCONSISTENTE, ESTRUTURALMENTE INCONGRUENTE, PARA ALÉM DE, COMPROVADAMENTE, SER CAUSA DE UMA CRESCENTE E PERNICIOSA ILITERACIA EM PUBLICAÇÕES OFICIAIS E PRIVADAS, NAS ESCOLAS, NOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, NA POPULAÇÃO EM GERAL E ESTAR A CRIAR UMA GERAÇÃO DE ANALFABETOS.

.

.CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt

. AO/90 É INCONSTITUCIONAL

O Acordo Ortográfico 1990 não tem validade internacional. A assinatura (em 1990) do texto original tem repercussões jurídicas: fixa o texto (e os modos como os signatários se vinculam), isto segundo o artº 10º da Convenção de Viena do Direito dos Tratados. Por isso, não podia ser modificado de modo a entrar em vigor com a ratificação de apenas 3... sem que essa alteração não fosse ratificada por unanimidade! Ainda há meses Angola e Moçambique invocaram OFICIALMENTE a não vigência do acordo numa reunião OFICIAL e os representantes OFICIAIS do Brasil e do capataz dos brasileiros, Portugal, meteram a viola no saco. Ora, para um acordo internacional entrar em vigor em Portugal, à luz do artº 8º da Constituição Portuguesa, é preciso que esteja em vigor na ordem jurídica internacional. E este não está!
blogs SAPO