comentários:
De Arcanjo Rocha a 11 de Maio de 2023 às 21:10
Sou professor aposentado. Estive no Brasil no final dos anos 60 do século passado, estive em 1971/74 na guerra do ex-ultramar, em Angola, convivendo com outras comunidades que falavam e ainda falam o "seu" português característico. Posteriormente fui professor em várias vertentes do ensino, todas elas baseadas na Língua Portuguesa. Hoje sinto-me defraudado e irei morrer infeliz por esse "acordo, que concordo ser abortográfico" me dar a impressão que andei uma vida inteira a lutar ingloriamente pela pureza da minha língua: a língua portuguesa do meu querido Portugal. Respeito vigorosamente as outras modalidades da língua portuguesa, seja do (PT-BR) português do Brasil (só por curiosidade: aquilo a que se chama língua brasileira na realidade não existe, a não ser nos vários dialetos dos indígenas brasileiros) ou do português dos PALOP (países africanos de língua original portuguesa). "Arrepio-me" quando políticos, jornalistas e até outros portugueses, alguns deles pensando que "falam" corretamente a nossa língua, cometem erros gramaticais crassos e indefensáveis.
Irei lutar, até à morte, tal como outros defensores da língua portuguesa, incluindo alguns intelectuais brasileiros e de outros países onde se fala (e escreve) português europeu ou de Portugal, pela língua utilizada, ou que deveria ser utilizada com pureza fonética, sintática, morfológica além de outros aspetos culturais, incluindo os regionalismos.
Concordo plenamente com este movimento de defesa da pureza da nossa língua e subscrevo incondicionalmente as ações futuras a utilizar.
Arcanjo Rocha
De Isabel A. Ferreira a 12 de Maio de 2023 às 15:50
Arcanjo Rocha, nem sei por onde começar, para responder a este seu insólito comentário.

A primeira reacção que tive ao acabar de o ler foi: «este senhor está a gozar comigo?» Se está, merece uma resposta à altura.

A segunda reacção foi: «este senhor não deve ter correCtor ortográfico no telemóvel, ou no computador, e tentou defender a Língua Portuguesa, escrevendo-a à brasileira por conta de não ter correCtor.

Vou reproduzir aqui apenas a transcrição fonética dos vocábulos BRASILEIROS, utilizados no comentário do Arcanjo Rocha, e que o MEU correCtor ortográfico marca como ERRO: “diâlêtus”, “currêtâmente”, âções”.
“Âspêtus” é um vocábulo acordizado e usado APENAS em Portugal, por conta da “BÊSTÊR” do AO90, uma vez que a regra é: o que não se lê, não se escreve, o que não serve exactamente para Brasil e Portugal, daí a parvoíce do AO90.

“Sintática” apesar de se pronunciar do mesmo modo em Portugal e no Brasil, a grafia brasileira é “sintática”, palavra SEM raiz (o meu correCtor está a marcar erro); na grafia portuguesa escreve-se sintáCtica, palavra de raiz grega συντακτικός [não esquecer que a RAIZ da Língua Portuguesa é greco-latina], e uma língua SEM raízes não é uma Língua, é uma VARIANTE (dialecto, ou o que lhe quiserem chamar).

Não existe PT-BR. A designação de Português do Brasil NÃO existe. O que existe e uma muito válida VARIANTE BRASILEIRA DO PORTUGUÊS, gostem ou não gostem os Brasileiros, que só têm o vocábulo” português” no nome da Língua que falam e escrevem, por CONVENIÊNCIAS políticas e NÃO linguísticas.

Arcanjo Rocha, como sugestão de leitura, se quer mesmo inteirar-se da questão Brasileiro vs. Português, deixo-lhe aqui uns “links” muito esclarecedores:

https://olugardalinguaportuguesa.blogs.sapo.pt/lingua-brasileira-e-outras-historias-347073

https://olugardalinguaportuguesa.blogs.sapo.pt/opiniao-de-sergio-lopes-sobre-o-artigo-243910

https://olugardalinguaportuguesa.blogs.sapo.pt/movimento-pela-lingua-brasileira-219210

https://olugardalinguaportuguesa.blogs.sapo.pt/a-lingua-brasileira-99635

E se quer que “a sua treta diga com a careta” (desculpando-me a expressão), numa próxima vez, por favor, escreva em PORTUGUÊS, se tem a pretensão de DEFENDER a Língua Portuguesa, porque PORTUGUÊS só há UM, e esse é falado e escrito em Portugal, Angola, Moçambique, São Tomé e Príncipe, Guiné-Bissau, Timor-Leste, e a única ex-colónia que desestruturou o Português, Língua de Portugal, um país livre e soberano, e que o mutilou, foi o Brasil, que tem todo o direito à sua Língua Brasileira, enriquecida pelos falares indígenas e africanos, e americanizada, castelhanizada, italianizada, afrancesada, enfim, algo que DESLUSITANIZOU o Português, o que NÃO lhe dá o direito de continuar a designá-la por “Português do Brasil”, porque NÃO é.

Cabo Verde já elevou a Língua a sua VARIANTE CABO-VERDIANA (o Crioulo), e tem como primeira Língua, a Língua Cabo-Verdiana. E o Português é língua estrangeira.

O Brasil que faça o mesmo, e que deixe a Língua Portuguesa em paz.

Que apresentem à ONU a Língua Brasileira, uma vez que esse é o sonho do Brasil - ter a Língua Brasileira representada na ONU - e USA o Português, para ter sucesso.

Mas poderá tê-lo na mesma. Os Brasileiros não são aos milhões???
De Isabel A. Ferreira a 14 de Maio de 2023 às 15:00
Arcanjo Rocha, enviou-me um comentário impublicável, porque não respeitou as regras do Blogue, que estão expostas, para quem souber ler, e esta é a única maneira que tenho para dizer-lhe o que precisa de saber: ainda está por nascer o MACHISTA (isto para ser amável) que me deite abaixo.

Para professor, está mil zeros abaixo de zero (e isto para ser simpática).

Já estou habituada, a que me mandem calar, fechar o Blogue, ir para casa coser as meias do marido, enfim, coisas de machistas.

Acontece, que nem todas as mulheres têm vocação para ser subservientes ao sexo fraco: o homem.

Comentar post