Terça-feira, 24 de Novembro de 2020

«Fonoaudióloga brasileira em Portugal luta para provar que fala português»

 

O título é de um artigo publicado num jornal online brasileiro (TAB), o qual esmiúço mais abaixo.

A imagem ilustra o artigo. Por sua vez, a ilustração contém um vídeo de baixo nível, que diz bem ao que a autora do artigo vem.

 

Palavreado rasca.PNG

 

Antes de ir ao assunto e para quem não saiba (eu não sabia) uma fonoaudióloga, em Portugal, corresponde a uma terapeuta da fala, que, de um modo simplificado, estuda a voz e a audição e os distúrbios a elas associados, embora seja mais abrangente. E, esclarecendo esta parte, tudo ficaria explicado, porque a questão aqui é a de uma fonoaudióloga brasileira (só na designação já se percebe a diferença) não ser aceite, em Portugal, para exercer esta profissão.

 

O motivo não será óbvio?

 

O título é de um artigo publicado num jornal online brasileiro (TAB) onde se distorce a questão, por não se entender que a fala brasileira é diferente da fala portuguesa, e tratando-se de terapia da fala, a dicção, a pronúncia das palavras e tudo o resto a elas ligado, é extremamente importante. E se estamos diante de uma pessoa que não domina completamente a expressão da Língua do País, como poderá exercer com eficiência tal profissão?

 

Não estamos a falar das falas das novelas. Estamos a falar de terapia da fala, que mexe com o modo como as pessoas que procuram o terapeuta se expressam e procuram corrigir esse modo.

 

Ora a fonoaudióloga em questão, segundo a notícia, depois de passar por uma entrevista e escrever uma redacção, recebeu um documento a dizer que ela não dominava a semântica (sentido das palavras), a morfossintaxe (construção das frases), a fonética e a fonologia (os sons) do Português falado em Portugal. Não dominando estes importantíssimos meandros da fala, como poderia exercer a profissão de terapeuta da fala, em Portugal? Dependendo da competência, todas as outras terapias (psicológicas, físicas) podem ser exercidas por qualquer estrangeiro. Mas a fala é a fala. Se não a dominamos, não podemos exercer nada que com ela se relacione.

 

Poderia um brasileiro ser professor de Português português em Portugal?

 

Poderia um português ser professor de Português brasileiro, no Brasil?

 

Porém, a fonoaudióloga brasileira entendeu que o preconceito linguístico ou reserva de mercado seriam as verdadeiras motivações para que o seu credenciamento profissional em Portugal tenha sido negado.

 

Não. Não foi preconceito linguístico ou reserva de mercado. Foi simplesmente algo muito óbvio: os Brasileiros não falam Português português. E isto até uma criança tem capacidade de observar. E não falando Português português, não pode exercer a profissão de terapeuta da fala, pelos motivos mais óbvios.

 

Se uma terapeuta da fala portuguesa pretendesse exercer a profissão no Brasil seria aceite?

 

Este artigo mistura alhos com bugalhos, faz uma análise arrevesada da questão, e pela ilustração que usaram, já se vê na aragem o que vai na carruagem.



Deixo aqui o link do artigo, para quem estiver interessado em consultá-lo, e recomendo vivamente que leiam também os comentários, porque neles encontraremos o verdadeiro busílis da questão:

 

https://tab.uol.com.br/noticias/redacao/2020/11/22/fonoaudiologa-brasileira-em-portugal-luta-para-provar-que-fala-portugues.htm

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:29

link do post | comentar | adicionar aos favoritos
partilhar
comentários:
De Célia a 10 de Julho de 2021 às 15:31
Parece ser típico de brasileiros, chorarem que são vítimas de preconceito, xenofobia, por aí fora, mas fazerem igual ou pior.

Por outro lado, é ridículo equiparar a isto a alguma forma de discriminação. A língua até pode ser a mesma, mas a fonética é demasiado distinta para poderem fazer terapia da fala com portugueses. Não entender isso é de uma falta de honestidade intelectual atroz.

Como inquiri diretamente as proprietárias dessa página, na altura, e sem resposta, se a língua é a mesma e existe intercompreensão, porque é que os portugueses são dobrados/dublados no Brasil? Basta um falar 30 segundos num programa qualquer que isso acontece.

Quantas vezes ouvimos que os portugueses no Brasil tiveram de mudar o sotaque para se integrarem?

Mais, existem vários brasileiros em linhas de atendimento em Portugal. Quase sempre me pedem que repita alguma coisa e eu por vezes também não os percebo bem. Inclusive tive um problema com uma operadora de telecomunicações que me disse uma coisa e depois não era e a desculpa dada após alegada audição das gravações foi que "ela era brasileira e não tinha percebido bem a minha pergunta"...

A questão é: quantos portugueses trabalharão em linhas de atendimento no Brasil? Se houver algum, será que fala com o seu próprio sotaque? Será que o Brasil reconhece e aceita terapeutas da fala portugueses?

Brasileiros adoram pôr-se em bicos de pés para afirmar que o Português deles é mais bonito, que 90% dos estrangeiros preferem o Português deles (estatísticas tiradas do nada), ou ameaçam autonomizar a "língua" deles (como se alguém perdesse sono com isso). Dizem também que não nos entendem porque não nos ligam (o que faria se ligassem), mas que nós vemos as novelas e ouvimos as músicas deles (como se fossemos todos a fazê-lo). Mas basta alguém dizer que não percebe o que eles dizem que gritam logo preconceito e xenofobia.

Parece que a língua só é a mesma quando lhes convém.

Espero francamente que quem de direito não se deixe pressionar por petições toscas e campanhas vitimistas e que esta cruzada dê exactamente naquilo que é justo, lógico e racional: nada.
De Isabel A. Ferreira a 10 de Julho de 2021 às 17:34
Exactamente assim, Célia.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar neste blog

 

.Dezembro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Li n’ “O Globo” que «Port...

. «Língua Brasileira e Outr...

. Posso fazer uma perguntin...

. O que aqui se verá é fru...

. Para acabar de vez com a ...

. Em Defesa da Ortografia, ...

. «Língua Cabo-verdiana vai...

. A notícia «Há crianças po...

. A favor da Língua Portugu...

. «Chapéus de jóquei» é um...

.arquivos

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

.Acordo Ortográfico

A autora deste Blogue não adopta o “Acordo Ortográfico de 1990”, por recusar ser cúmplice de uma fraude comprovada.

. «Português de Facto» - Facebook

Uma página onde podem encontrar sugestões de livros em Português correCto, permanentemente aCtualizada. https://www.facebook.com/portuguesdefacto

.Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt

. Comentários

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.

.Os textos assinados por Isabel A. Ferreira, autora deste Blogue, têm ©.

Agradeço a todos os que difundem os meus artigos que indiquem a fonte e os links dos mesmos.
blogs SAPO