Terça-feira, 29 de Maio de 2018

LISBOA SEM MAMILOS

 

Enviaram-me o link de uma página do Facebook denominada «Lisboa sem teto (atenção, isto lê-se têtu)».

 

Não é a primeira vez que me deparo com esta palavrinha… que se escreve sem se saber o que se está a escrever.

 

E não me venham com a história do não se lê, não se escreve, porque estarão a demonstrar uma descomunal ignorância.

 

TETO.jpg

Lisboa Sem Teto

 

Nesta página, deixei esta crítica, porque me irrita ver a Língua Portuguesa ser assim tão maltratada:

 

 

«Gostaria muito de poder colocar aqui as cinco estrelas, mas não sei o que é Lisboa sem TETO (lê-se têtu).

 

Lisboa sem TETO (têtu)?

 

 

Sabem o que é TETO (têtu)

 

TETO (têtu) é o mesmo que TÉTUM = Língua Nacional de Timor Lorosae, pertencente ao grupo das línguas malaio-polinésias.

 

TETO (têtu) também significa mamilo dos animais irracionais; gomo de fruta; canal excretor das mamas das fêmeas dos animais domésticos.

 

Lisboa sem TETO (têtu)? O que é isto?

 

O que é que Lisboa não tem? Como é improvável que seja a Língua Nacional de Timor Lorosae, deduzo que Lisboa não tenha mamilos; e se não tem mamilos, não é Lisboa, cidade portuguesa, capital de Portugal.

 

Será uma nova espécie de mamífero sem mamilos?

 

Sugiro que escrevam em boa Língua Portuguesa, e que se deixem de modismos = idiotismos de linguagem

 

É preciso que comecem a saber as idiotices que escrevem, quando mutilam as palavras.

 

É preciso pôr um fim a este tipo de ignorância.

 

Isabel A. Ferreira

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:11

link do post | comentar | adicionar aos favoritos
partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar neste blog

 

.Janeiro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
15
19
21
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Pedro Mexia: «Fico estarr...

. «As intermitências do Aco...

. «O Acordo Ortográfico de ...

. Pequena amostra da indigê...

. Estranho mundo, o nosso…

. Manifesto que contesta as...

. Extraordinária «Contestaç...

. «O erro ortográfico»

. «Sobre o Politicamente Co...

. «O instituto, a língua, o...

.arquivos

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

.Acordo Ortográfico

A autora deste Blogue não adopta o “Acordo Ortográfico de 1990”, por recusar ser cúmplice de uma fraude comprovada.

. «Português de Facto» - Facebook

Uma página onde podem encontrar sugestões de livros em Português correCto, permanentemente aCtualizada. a href="https://www.facebook.com/portuguesdefacto/" target="_blank">https://www.facebook.com/portuguesdefacto/

.Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt

. AO/90 é uma fraude, ilegal e inconstitucional

O Acordo Ortográfico 1990 não tem validade internacional. A assinatura (em 1990) do texto original tem repercussões jurídicas: fixa o texto (e os modos como os signatários se vinculam), isto segundo o artº 10º da Convenção de Viena do Direito dos Tratados. Por isso, não podia ser modificado de modo a entrar em vigor com a ratificação de apenas 3... sem que essa alteração não fosse ratificada por unanimidade! Ainda há meses Angola e Moçambique invocaram oficialmente a não vigência do acordo numa reunião oficial e os representantes oficiais do Brasil e do capataz dos brasileiros, Portugal, meteram a viola no saco. Ora, para um acordo internacional entrar em vigor em Portugal, à luz do artº 8º da Constituição Portuguesa, é preciso que esteja em vigor na ordem jurídica internacional. E este não está!
blogs SAPO