De Susana Bastos a 28 de Setembro de 2018 às 17:09
Também sou contra o AO90, mas há erros de facto nesta carta. Existe o dialecto brasileiro como existe o dialecto alentejano, transmontano, açoriano, etc. Um dialecto é uma variante da mesma língua, seja ao nível lexical, de pronúncia, semântica, etc. Veja-se o significado de dialecto: https://dicionario.priberam.org/dialecto. Além disso, a carta tem implícito (ou até mesmo explícito) um sentimento antibrasileiro (sem sentido nenhum) que em nada beneficia a causa anti-AO. É fácil para quem é a favor pegar nisso e chamar-nos xenófobos e desacreditar-nos. Pensei que já se tinha passado essa fase. Assim, não vamos lá. O resto da carta gostei de ler.

Dialectos do português de Portugal: http://cvc.instituto-camoes.pt/hlp/geografia/mapa06.html
De Isabel A. Ferreira a 30 de Setembro de 2018 às 17:25
Minha senhora, desculpe dizer-lhe, mas a sua iliteracia é notória.

A senhora leu o que leu, mas não percebeu nada do que leu. Lamento muito.

A minha resposta a este seu comentário está aqui:

DO QUE FALAMOS QUANDO FALAMOS DO DIALECTO BRASILEIRO?

https://olugardalinguaportuguesa.blogs.sapo.pt/do-que-falamos-quando-falamos-do-138183

Leia, com olhos de ler e absorva a mensagem. Por favor.

E para a próxima vez que queira comentar, certifique-se de que está a par da matéria, de contrário, faz má figura.
De Susana Bastos a 2 de Outubro de 2018 às 01:38
Creio que não a insultei... Contenha-se. Existe um dialecto brasileiro (e dentro do Brasil ainda mais dialectos), como existem em Portugal diversos dialectos. Uma língua é feita de dialectos, são eles os constituintes da língua. Afirmar que no Brasil não se fala nem escreve em português é um absurdo. Seria o mesmo que dizer que no Alentejo não se fala português, mas um dialecto apenas. Veja se entende, presumo que não seja preciso um desenho.
De Isabel A. Ferreira a 2 de Outubro de 2018 às 17:02
Como não insultou, senhora Susana Bastos?

Contenha-se a senhora, que não sabe o significado de xenofobia, e aplica-o fora do seu contexto, chamando xenófoba a quem concorda com os linguistas que consideram que o que se fala e escreve no Brasil é um dialecto.

No Brasil só se fala dialectos derivados da Língua Portuguesa.
O Brasil é um poço de dialectos, derivado do Dialecto Brasileiro, que por sua vez é derivado da Língua Portuguesa.

Uma Língua não é feita de dialectos. Uma Língua é uma língua que origina dialectos.

E agora vou escrever em letras maiúsculas para ver se consegue perceber:

NÃO SOU EU QUE AFIRMO QUE O QUE SE ESCREVE E FALA NO BRASIL É UM DIALECTO.

Não sou eu.

SÃO OS LINGUISTAS QUE ESTUDARAM ESTA MATÉRIA!

Dá para entender?

E existem os FALARES, ou seja particularidades regionais de uma língua que se caracterizam por traços fonéticos, entre eles o falar alentejano, o falar açoriano, o falar madeirense, o falar nortenho, etc., que não são propriamente dialectos.

Deixo-lhe aqui novamente o artigo sobre os DIALECTOS. LEIA-O, por favor, com olhos de LER e ENTENDER.

Talvez quem precise de DESENHO seja a senhora:

DO QUE FALAMOS QUANDO FALAMOS DO DIALECTO BRASILEIRO?

https://olugardalinguaportuguesa.blogs.sapo.pt/do-que-falamos-quando-falamos-do-147424
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.