Sábado, 12 de Maio de 2018

O MIXORDÊS DO SENHOR PROFESSOR UNIVERSITÁRIO

 

«Quando um docente do ensino superior e ex-governante com responsabilidades escreve assim (embora sem obrigatoriedade de o fazer), é porque algo não está bem no instrumento aplicado nem na filosofia que lhe serviu de base. Continua, portanto, a confirmar-se que o Acordo Ortográfico é transversalmente um factor de perturbação da escrita e indutor de analfabetismo.»

(Tradutores Contra o Acordo Ortográfico).

 

MIXORDÊS3.png

 

Imagens daqui: https://bit.ly/2G01svt

Fonte:

https://www.facebook.com/TradutoresContraAO90/photos/a.645077242260614.1073741827.199515723483437/1557477114353951/?type=3&theater

 

***

Isto já nem é coisa de um país terceiro-mundista! É sim, de um país quinto-mundista, onde o ensino da Língua não existe. 

 

Isto é absolutamente intolerável. Inimaginável, num país Culto.

 

Votam a favor do acordo ortográfico. Aplicam-no, convencidos de que estão a escrever o supra-sumo de uma Língua, e eis este vergonhoso resultado.

 

E é assim na escrita, e é assim também no falar.

 

Quando um professor universitário e ex-governante adopta a mixórdia ortográfica, o que farão os outros, os que têm menos habilitações literárias, como os legendadores e tradutores televisivos, as crianças, os jovens, que nas escolas aprendem este mixordês, quando têm direito ao ensino qualificado da Língua Materna – a Língua Portuguesa, na sua grafia culta e europeia!

 

Mas há ainda mais. Há o mixordês também nos canais televisivos.

 

E o pior é que o governo português e o presidente da República acham piada a isto, e calam-se. E não tomam a iniciativa de pôr ordem na casa.

 

 

MIXORDÊS.jpg

Fonte da imagem: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=195953047868881&set=gm.1857525544292810&type=3&theater&ifg=1

MIXORDÊS1.jpg

 Fonte da imagem: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10156393674308556&set=gm.2048019628555840&type=3&theater&ifg=1#

 

 Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:03

link do post | comentar | adicionar aos favoritos
partilhar

.mais sobre mim

.pesquisar neste blog

 

.Maio 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
19
21
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. MEDALHA DE MÉRITO CULTURA...

. INQUÉRITO SOBRE O ACORDO ...

. LÁ LONGE... ONDE EXISTE ...

. DIVAGAÇÃO SOBRE A LÍNGUA

. A NEGLIGÊNCIA NA LÍNGUA E...

. GUINÉ EQUATORIAL NÃO MOST...

. AO REDOR DA PALAVRA “PARA...

. O QUE ANDARAM A ESPETAR 1...

. O MIXORDÊS DO SENHOR PROF...

. UMA DECLARAÇÃO DE VOTO QU...

.arquivos

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

.ACORDO ORTOGRÁFICO

EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA, A AUTORA DESTE BLOGUE NÃO ADOPTA O “ACORDO ORTOGRÁFICO” DE 1990, DEVIDO A ESTE SER INCONSTITUCIONAL, LINGUISTICAMENTE INCONSISTENTE, ESTRUTURALMENTE INCONGRUENTE, PARA ALÉM DE, COMPROVADAMENTE, SER CAUSA DE UMA CRESCENTE E PERNICIOSA ILITERACIA EM PUBLICAÇÕES OFICIAIS E PRIVADAS, NAS ESCOLAS, NOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, NA POPULAÇÃO EM GERAL E ESTAR A CRIAR UMA GERAÇÃO DE ANALFABETOS.

.

.CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt

. AO/90 É INCONSTITUCIONAL

O Acordo Ortográfico 1990 não tem validade internacional. A assinatura (em 1990) do texto original tem repercussões jurídicas: fixa o texto (e os modos como os signatários se vinculam), isto segundo o artº 10º da Convenção de Viena do Direito dos Tratados. Por isso, não podia ser modificado de modo a entrar em vigor com a ratificação de apenas 3... sem que essa alteração não fosse ratificada por unanimidade! Ainda há meses Angola e Moçambique invocaram OFICIALMENTE a não vigência do acordo numa reunião OFICIAL e os representantes OFICIAIS do Brasil e do capataz dos brasileiros, Portugal, meteram a viola no saco. Ora, para um acordo internacional entrar em vigor em Portugal, à luz do artº 8º da Constituição Portuguesa, é preciso que esteja em vigor na ordem jurídica internacional. E este não está!
blogs SAPO