comentários:
De Eduardo Silva a 17 de Janeiro de 2022 às 11:03
A discussao sobre o assunto e' valida e temos que falar sobre isso!

Mas acho desnecessario chamar nos brasileiros de incultos. Qual a necessidade? Vamos trazer argumentos, assim como voce trouxe com a reportagem do Nelson e que sao excelentes argumentos. Vamos manter um nivel, um padrao na discussao sem ofensas.

Assim como ha' brasileiros que sentem a necessidade de "falar" uma lingua europeia para se sentirem importantes no mundo, ha' tambem portugueses que ainda sentem um saudosismo com o passado heroico, como fala o professor Marcos Bagno em uma entrevisata. Inclusive recomendo a voce o texto do professor Marcos Bagno, outro brasileiro que esta de acordo com separacao linguitica entre Brasil e Portugal.
De Isabel A. Ferreira a 17 de Janeiro de 2022 às 17:19
Eduardo Silva, quem chamou os Brasileiros de incultos? Existem brasileiros muito incultos, sim, assim como existem portugueses, franceses, ingleses etc., também muito incultos. Eu tenho por hábito usar maiúsculas e minúsculas para separar as águas paradas das águas agitadas, e o trigo do joio. Quando uso Brasileiros, com um BÊ maiúsculo, refiro-me ao POVO BRASILEIRO, constituído por cidadãos cultos e por cidadãos incultos. O mesmo faço em relação aos Portugueses, o Povo Português, e entre ele existem portugueses cultos e também muito incultos.

Pois esses argumentos de que fala, já circulam por este Blogue em muitos e variados textos, incluindo o de Marcos Bagno, qual o qual concordo plenamente, no que respeita à separação linguística, porquanto, desse modo, acabar-se-ia com essa coisa do colonialismo português que os brasileiros incultos nunca aceitaram, e tanto desdenham.

Quanto aos portugueses hodiernos, estes NÃO sentem o mínimo saudosismo do que denomina de “passado heróico”, porque esse passado e esse heroísmo pertence aos nossos antepassados. E apenas a eles. O que os portugueses hodiernos e cultos sentem é orgulho do que fizemos pelo mundo, da herança BOA que deixámos pelo mundo, e da qual muitos povos (entre eles, os Japoneses, por exemplo) se orgulham, e uns poucos povos, como os brasileiros incultos não se orgulham, porque nunca aceitaram o seu passado, por desconhecerem a VERDADEIRA HISTÓRIA de um território descoberto por Pedro Álvares Cabral e que veio a ser o territorialmente GRANDE BRASIL. Mas para o Brasil ser GRANDE, tal como os tão adorados (pelos brasileiros) Estados Unidos da América, precisam de aceitar o seu passado, como os norte-americanos aceitaram o deles. E olhe que quanto a HERANÇA CULTURAL os Portugueses foram muito mais prolíferos do que os Ingleses. Foram muito menos racistas do que os Ingleses. Foram muito menos bárbaros do que os Ingleses e os Espanhóis, por exemplo, que exterminaram três das civilizações mais avançadas da época: a Inca, a Maia e a Asteca. De resto, a colonização e a escravatura fazem parte dos valores daquela época, que não podem ser avaliados à luz dos valores do século XXI d. C.. E esse é o vosso maior erro.

O problema do Brasil é um ENSINO de História do Brasil e da História do Mundo e da Língua muito, muito péssimo e deficiente. Posso falar desde modo, porque passei um pouco por todos os ciclos de ensino, no Brasil, desde o básico à universidade, alternando com o básico e a universidade em Portugal, e numa escola inglesa. E posso dizer-lhe que as diferenças de ENSINO são abissais.

Já agora, quero fazer-lhe uma pergunta, que não é inocente, mas tem o seu “quê” de fundamento: quais são as suas habilitações académicas?
De Eduardo Silva a 17 de Janeiro de 2022 às 18:12
Ha no Brasil sim muita gente culta, e e' de ser admirado, pois como voce pode constatar no tempo que la' andou, talvez tenha notado o baixo investimento na educacao e falta de reconhecimento aos profissionais dessa area. Mas nao estou aqui para defender o Brasil e atacar Portugal, ja' superei isso ha' muito tempo! Outra coisa que sempre vejo falarem e discordo profundamente, e' que dizem que nas escolas do Brasil nos ensinam a odiar Portugal, o que nao e' verdade ... apenas nos ensinam a historia que aconteceu, e nesse ponto concordo com voce que poderia ser ensinada melhor! Eu, na minha juventude, nunca odiei Portugal e hoje tambem nao odeio, muito pelo contratio, apos ali viver por dois anos (ainda que durante a pandemia) aprendi a admirar o pais, a cultura e o povo (apesar de ter conchecido alguns parvos e xenofobos, mas isso tem pra todo lado nao e' mesmo?).

Sobre o saudosismo dos portugueses ao passado, nao coloquei como afirmacao mas sim como uma possivel explicacao ... como nao sou portugues nao me atrevo a afirmar o que voces sentem ou deixam de sentir! Mas esse foi um dos argumentos que o professor Ivo Castro, da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, com doutorado em Linguística Portugue­sa.
Tirei esse trecho da reportagem do professor Moarcos:

O professor Ivo CastroEle diz o seguinte: “Minha opinião de que a separação estrutural entre a língua de Portugal e a do Brasil é um fenômeno lento e de águas profundas, que é fácil e, a muitos, desejável não observar, assenta-se no convencimento de que a fratura do sistema linguístico existe, mas não é aparente a todos os observadores nem é agradável a todos os saudosistas.”


E como eu disse e' um argumento possivel para justificar os portugueses que nao querem a separacao das linguas faladas nos dois paises, nao sou eu quem esta a falar, mas um portugues letrado e culto.

Sobre a minha formacao academica, tenho bacharelado em Sistemas de Informacao pela Universidade Federal de Lavras MG/Br. Vim para o velho continente trabalhar com TI e nao me sinto despreparado ao trabalho que exerco quando comparado aos meus companheiros europeus e asiaticos. Hoje vivo nos Paises Baixos, trabalhos aqui com muitos portugueses, indianos e tambem com neerlandeses, todos excelentes no que fazem e como pessoas!

Ja agora nao entendi o fundamento da pergunta sobre meu nivel academico.

De Isabel A. Ferreira a 18 de Janeiro de 2022 às 16:17
Eduardo Silva, sim, existe gente muito culta no Brasil, mas essa gente está em minoria. Não tem poder para ter poder. Nas escolas brasileiras, o ensino ministrado é muito pobre, e isto vem já de muito longe, desde que ignorantes marxistas (porque os há cultos) ocuparam o poder e lhe deram para estroncar, por exemplo, a História do Brasil, dizendo barbaridades da colonização, e isso está bem comprovado nos comentários de brasileiros (que apesar de instruídos são incultos), os quais pululam pela Internet, sobre esta matéria.

A mim, não me vem dizer que nas escolas “ensinam o que aconteceu”. É precisamente o contrário: ensinam-vos o que NÃO aconteceu, ensinam-vos a odiar a colonização portuguesa, e isso é um facto indesmentível, comprovado, daí que a LUSOFOBIA seja uma realidade no Brasil, não por parte do POVO menos instruído, mas do povo que vai à escola aprender INVERDADES, os tais instruídos, mas incultos. Isso posso garantir-lhe, porque tive de me bater contra essas inverdades, nomeadamente na Universidade, algo que abordei num livro que escrevi, e no qual provo o quanto os brasileiros se afastaram e continuam afastados da VERDADE HISTÓRICA.

Quanto ao saudosismo, penso que quando um País, que já teve prestígio no mundo por muito bons motivos, se afunda, é de toda a legitimidade que o Povo sinta saudades daquilo que construiu de BOM e que os IGNORANTES destruíram. E se vamos por este caminho, os brasileiros instruídos, mas incultos, sentem SAUDADES de algo que queriam que acontecesse e jamais acontecerá: o de terem sido colonizados pelos Ingleses. Este sentimento mesquinho é que tem destruído o Brasil, e impedido que ele se tornasse os Estados Unidos da América do Sul, 200 anos que já são passados sobre a sua Independência. Quem não aceita o seu passado, viverá o presente metido numa bolha, e jamais terá futuro.

Se não percebeu ou se não quer responder à minha pergunta sobre o seu nível académico, não precisa de responder. Era apenas uma curiosidade minha.

Comentar post