De Arsénio de Sousa Pires a 29 de Janeiro de 2021 às 19:40
Interessante este artigo de Ray Cunha. Aliás, escrito em bom português!
Quanto a mim, o caminho a seguir quanto ao português nos países da CPLP, terá que ser mesmo a língua portuguesa com uma base comum definida num VERDADEIRO ACORDO discutido e aceite por toda a CPLP e enriquecida pelas especificidades culturais de cada país. A língua portuguesa materna não poderá ser alterada na sua ortografia e sintaxe. Unidade no essencial e diversidade no secundário, entendendo-se por "secundário" toda a riqueza que os vários países possam trazer.
A língua inglesa conseguiu essa unidade na diversidade.
De Isabel A. Ferreira a 30 de Janeiro de 2021 às 15:53
Para tal, Arsénio Pires, é preciso que surja, em Portugal, uma MENTE BRILHANTE, que possa ver a luz, e tirar da escuridão a NOSSA Língua Portuguesa.
De Arsénio de Sousa Pires a 30 de Janeiro de 2021 às 17:06
Também espero por esse MILAGRE!
Caso contrário, em breve desaparecerá a língua portuguesa (chamemos-lhe lusitana!) e restarão vários dialectos, ou crioulos com remotas raízes no português original, entretanto tornados língua oficial por cada país da CPLP.
Aliás, o ministro da educação de Cabo Verde já deu o tom para tornar o crioulo cabo-verdiano como língua oficial.

Deixo um sugestão para as futuras (?) reuniões da CPLP:
Instalar gabinetes de tradução simultânea de todos os crioulos para todos os crioulos... sem esquecer a tradução, também, para a Língua Portuguesa. (Oh! Já me esquecia da necessidade de haver também tradução para francês e espanhol por causa da nosso querido e muy desejado membro da CPLP, a Guiné Equatorial).
Comentar:
De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

(moderado)
Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.