Domingo, 26 de Junho de 2022

Pausa para Férias

 

Desde 2015, todos os nossos serviços públicos, e não só, vêm-se degradando cada vez mais, chegando ao ponto máximo do CAOS. Darei apenas alguns exemplos: SNS, ENSINO, JUSTIÇA, PROTECÇÃO À INFÂNCIA e, obviamente, a LÍNGUA PORTUGUESA.

 

Mas tudo o resto, na sociedade portuguesa, está a escorrer para o pútrido charco, onde a estupidez e a ignorância se instalaram, como excrementos oriundos das más políticas, em certos casos, ou da falta delas, noutros casos, e de uma gigantesca subserviência ao estrangeiro.

 

E porque já ando farta de dar murros em ponta de facas, e ainda mais farta dos calhaus com olhos que mandam e desmandam com a insipiência que os caracteriza  (sempre quis acreditar que vivíamos numa Democracia, com democratas dotados de honra, de vergonha na cara e de carácter, mas enganei-me); porque já estou farta de ver por aí, a nossa LÍNGUA a sofrer tratos de polé, conforme a amostragem recolhida pela Teresa Ramalho, em 2015, e que continua em vigor; porque já estou farta de não ver resultados positivos, que nos possam tirar desta fossa séptica, em que os políticos portugueses transformaram a nossa sociedade, preciso de fazer uma PAUSA.

 
Preciso urgentemente de mudar de ares…

Até breve.

 
Isabel A. Ferreira

 

NOVILÍNGUA.png

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:12

link do post | comentar | adicionar aos favoritos
partilhar
comentários:
De Diana Coelho a 26 de Junho de 2022 às 19:11
E agora é moda tratar-se tudo por email, o que demora dias para se obter uma resposta. E quando a recebemos nem vemos o nosso assunto resolvido. Sobre este caos tenho muitas para lhe contar mas ficará para uma próxima ocasião. Bom descanso e até breve! Aguardo ansiosamente pelo seu regresso ao blog. :)
De Isabel A. Ferreira a 26 de Junho de 2022 às 19:56
Obrigada, Diana Coelho.

Quando eu regressar, cá espero as coisas que tem para me contar sobre o CAOS.
De Diana Coelho a 29 de Julho de 2022 às 12:16
Estamos em pleno século XXI e são poucas as empresas que apresentam um contacto telefónico na sua página de internet. Eu quero esclarecer uma dúvida e não consigo porque não há telefone, só há email e fico dias à espera de uma resposta. Com sorte, consigo respostas do género "Agradecemos o seu contacto. Prometemos ser breves." mas essa brevidade costuma demorar 30 dias. E ainda existem aquelas empresas que nem telefone, nem email: têm um formulário de contacto para preencher os espaços em branco com os dados obrigatórios (nome, morada, etc.) e a descrição do nosso pedido ou reclamação no fim do formulário (normalmente com limite de caracteres que é para escrevermos pouco e, dessa forma, não se perde muito tempo a ler, nem a trabalhar).
Mesmo aquelas empresas que apresentam o seu contacto telefónico de nada nos valem porque as saídas são sempre as mesmas: ninguém atende e quando atendem obtém-se uma resposta triste e decepcionante: "Olhe, mande um email". Não há empresa que esclareça uma dúvida ao telefone. Uma simples dúvida. Quem atende não sabe responder e nem se dá ao trabalho de procurar uma resposta para ajudar a pessoa que telefonou.
A maior parte das vezes (talvez todas as vezes) que recebo por email uma resposta de uma entidade pública ou privada sinto um misto de alegria e tristeza. Alegria porque me responderam, tristeza porque não responderam ao meu pedido e a língua portuguesa apresenta-se numa miséria. Entre outros exemplos, leio coisas como "até o fim" ou "o seu pedido foi aceito". Qualidade e profissionalismo é coisa que não abunda em Portugal.
De Isabel A. Ferreira a 3 de Agosto de 2022 às 18:02
Infelizmente, tudo o que diz é verdade.
também lamento tudo isso.
E o profissionalismo, em Portugal, já não existe.

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar neste blog

 

.Agosto 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. «Degradação da Língua Por...

. Até sempre, Jô Soares…

. Em defesa da Ortografia (...

. O «LUSITANO» de Zurique é...

. Pausa para Férias

. Cogitações da “Corujinha”...

. Em defesa da Ortografia (...

. Cogitações da "Corujinha"...

. “A eterna questão ortográ...

. O Grito do Ipiranga da Va...

.arquivos

. Agosto 2022

. Junho 2022

. Maio 2022

. Abril 2022

. Março 2022

. Fevereiro 2022

. Janeiro 2022

. Dezembro 2021

. Novembro 2021

. Outubro 2021

. Setembro 2021

. Agosto 2021

. Julho 2021

. Junho 2021

. Maio 2021

. Abril 2021

. Março 2021

. Fevereiro 2021

. Janeiro 2021

. Dezembro 2020

. Novembro 2020

. Outubro 2020

. Setembro 2020

. Agosto 2020

. Julho 2020

. Junho 2020

. Maio 2020

. Abril 2020

. Março 2020

. Fevereiro 2020

. Janeiro 2020

. Dezembro 2019

. Novembro 2019

. Outubro 2019

. Setembro 2019

. Agosto 2019

. Julho 2019

. Junho 2019

. Maio 2019

. Abril 2019

. Março 2019

. Fevereiro 2019

. Janeiro 2019

. Dezembro 2018

. Novembro 2018

. Outubro 2018

. Setembro 2018

. Agosto 2018

. Julho 2018

. Junho 2018

. Maio 2018

. Abril 2018

. Março 2018

. Fevereiro 2018

. Janeiro 2018

. Dezembro 2017

. Novembro 2017

. Outubro 2017

. Setembro 2017

. Agosto 2017

. Julho 2017

. Junho 2017

. Maio 2017

. Abril 2017

. Março 2017

. Fevereiro 2017

. Janeiro 2017

. Dezembro 2016

. Novembro 2016

. Outubro 2016

. Setembro 2016

. Agosto 2016

. Julho 2016

. Junho 2016

. Maio 2016

. Abril 2016

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Janeiro 2016

. Dezembro 2015

. Novembro 2015

. Outubro 2015

.Acordo Ortográfico

A autora deste Blogue não adopta o “Acordo Ortográfico de 1990”, por recusar ser cúmplice de uma fraude comprovada.

. «Português de Facto» - Facebook

Uma página onde podem encontrar sugestões de livros em Português correCto, permanentemente aCtualizada. https://www.facebook.com/portuguesdefacto

.Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt

. Comentários

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.

.Os textos assinados por Isabel A. Ferreira, autora deste Blogue, têm ©.

Agradeço a todos os que difundem os meus artigos que indiquem a fonte e os links dos mesmos.
blogs SAPO